segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Mori Girl


Mori Girl é um estilo recente no Japão, que ganhou nome e começou a ficar famoso quando sua criadora, Choco, criou uma comunidade no Mixi (o equivalente ao nosso orkut, mas japonês), para pessoas que pensavam como ela, já que diziam que seu estilo parecia como o de “uma garota saída da floresta” (Mori é a palavra equivalente para Floresta, na língua japonesa).


A moda contagiou outras milhares de garotas e se espalhou pelas ruas de Tokyo, hoje contando com revistas próprias, marcas de roupas e até mesmo eventos especiais no site Poupee Girl, jogado por garotas fãs de moda japonesa, no mundo inteiro.



Com influências do Natural Kei e também do Urahara Kei, o estilo Mori traz vestidinhos florais soltinhos e sobreposições de camadas de casacos, coletes, cachecóis, chapéus de tricot ou pelucinha, meias fofas e sapatos variados, desde botas com pompons, até tamancos de madeira. 



As cores, em sua grande maioria, são tons pastéis, neutros ou que remetam à natureza, como bege, marrom, verde-folha e rosa claro, mas algumas vezes o preto e o vermelho são usados como parte das combinações. Os tecidos favoritos são naturais como o algodão, misturados com rendas, tricots e crochês, tudo com cara de feito à mão, muito confortáveis, delicados e simples.



Esse novo visual cresceu tanto, desde 2007, que acabou influenciando grande parte da moda comum no Japão. Além das marcas especiais, diversas outras lojas de shopping e departamentos começaram a oferecer vestidos, casacos e acessórios perfeitos para as combinações, disseminando ainda mais o estilo. 



Na famosa Takeshita Dori, a rua mais conhecida do bairro de Harajuku, apenas a loja Wonder Rocket, especializada em Mori, tem três sedes. Dá para ver de longe os manequins com roupas soltinhas, cores naturais e, no lugar da cabeça humana, uma grande cabeça de coelho branca.
Junto a eles, pedaços de carroças e grama artificial com flores decoram, não apenas a fachada, mas toda a loja, que aparenta ser totalmente feita de madeira, com motifs florais e gaiolinhas de ferro. Até mesmo as atendentes parecem fazer parte do cenário, compondo um mundo inteiro de fadas.



E apesar do nome ter a palavra Garota, não são apenas meninas as interessadas no estilo. Mesmo as lojas vendendo apenas roupas femininas, os rapazes entusiastas da natureza também começaram a dar seu jeitinho. Enquanto as moças usam vestidos, saias larguinhas e o cabelo longo cacheado, ou frisado, os garotos usam calças largas no estilo saruel, combinações de casacos e coletes de malha, cachecóis e chapéus de crochê, dread nos cabelos e, sempre que possível, uma certa barba por fazer. 


Contudo, não há exatamente regras tão rígidas para esse estilo. Na comunidade para Mori Girls no Livejournal, uma garota disse “Não precisa ter tanto medo de errar”, já que diferente dos outros, é uma moda mais natural, mais interior que, contanto que a idéia geral combine, está certa. Não é uma moda apenas para jovens que desejam fugir da vida adulta.


A natureza das pessoas que seguem esse estilo é mais solitária. Gostam de ler livros em cafés e tomar um chá da tarde com tranquilidade. O termo acabou trazendo um desejo novo por aquelas roupas confortáveis, românticas e campestres, talvez até por estarem cansados da vida corrida no centro da cidade grande.
Algum tempo depois do surgimento da moda Mori Girl, a loja Grimoire, inspirada por essa e outras referências criou um estilo próprio, o Dolly Kei.

Fonte: Harajuku BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário